Facebook Linkedin Twitter
#

Plataforma Biodiversidade e Ambiente

Centro de recursos sobre biodiversidade em contexto urbano
Participe! 

Bioblitz Serralves

Video da 1ª edição
CONTACTE-NOS
(+351) 226 156 500
BIOBLITZ SERRALVES 2014
de 03 MAI 2014 a 04 MAI 2014
03 mai (sáb), 14h00-20h00
04 mai (dom), 08h00-13h00

ENTRADA LIVRE


Serralves organiza este ano um Bioblitz, uma inventariação relâmpago de espécies feita com a participação do público. Esta é a primeira vez que acontece em Portugal uma iniciativa deste género num jardim histórico e urbano. Ao contrário de um inventário científico, que é limitado a biólogos e outros investigadores, o bioblitz é aberto a famílias, alunos, professores e outros membros da comunidade, que assim ajudam os investigadores a encontrar plantas e animais no Parque de Serralves.
Serão catalogados os diversos grupos biológicos existentes no Parque: Aves, Anfíbios e Répteis, Micromamíferos e Morcegos, Insetos e Aranhas, Plantas, Líquenes e Cogumelos. Cada um terá uma estação localizada no Parque de Serralves, a partir da qual é possível acompanhar as sessões de inventariação. No caso das Aves e das Borboletas é até possível fazer monitorização autónoma: basta levantar um kit, fazer inscrição online e registar os dados recolhidos.
Em paralelo vão decorrer oficinas em família dedicadas a cada espécie, conversas sobre biodiversidade e documentários "Há vida em Serralves”. Está igualmente programado um concurso de fotografia digital – Fotoblitz – que tem como tema "A biodiversidade no Parque de Serralves”.
Esta é uma oportunidade única de contribuir para aumentar a lista de espécies já identificadas, trabalhar com a comunidade científica e conhecer melhor a fauna e flora do Parque de Serralves.

No domingo as atividades do Bioblitz encerram às 13h00, mas como é também o Dia da Mãe, para a tarde estão programadas três oficinas especiais para celebrar em família: contar e desenhar uma história, enviar abraços por correio ou construir uma jóia única para a mãe numa oficina de cristais.

Parceiro
#
#
#
  • LocalPARQUE DE SERRALVES
  • Dias 03 MAI 2014 - 04 MAI 2014

Oficinas do Dia da Mãe

Oficinas para Crianças e Familias
04 mai (dom), 15h00-18h00
AVES    
As cerca de 10 000 espécies de aves que habitam o nosso planeta possuem uma capacidade de adaptação ambiental fascinante, marcando presença em praticamente todos os ecossistemas terrestres, inclusive em ambiente urbano. No Parque de Serralves já foram observadas mais de 90 espécies. Melros, gaios, chapins e piscos-de-peito-ruivo são algumas das espécies que se observam com mais facilidade em qualquer altura do ano, no Parque. Conheça mais sobre as aves do Parque participando na sua inventariação, durante as sessões de anilhagem, observação com binóculos e identificação das aves pelo canto.
Local: Clareira das Azinheiras
Programa: consulte aqui o programa detalhado

ANFÍBIOS E RÉPTEIS   
Em Portugal ocorrem 17 espécies de anfíbios. Os anfíbios encontram-se numa situação muito delicada em termos de conservação: uma em cada três espécies de anfíbios do mundo apresenta estatuto de conservação preocupante. No Parque de Serralves conhecem-se quatro espécies diferentes de anfíbios: rã-verde; tritão-de-ventre-laranja; sapo-parteiro-comum e salamandra-de-pintas-amarelas. Conheça mais sobre os anfíbios do Parque, participando na sua inventariação durante as sessões de observação de adultos e captura de girinos na água.
Os répteis são dos animais mais incompreendidos, em grande parte devido ao desconhecimento da sua biologia e ecologia. A maioria das espécies que ocorrem em Portugal é totalmente inofensiva e todas optam primordialmente pela fuga quando se sentem ameaçadas. O seu comportamento esquivo e discreto permite-lhes passar despercebidos, tornando a sua observação um desafio. No Parque de Serralves ocorrem pelo menos duas espécies de répteis: lagartixa-de-Bocage e licranço. Conheça mais sobre os répteis do Parque, participando na sua inventariação, durante a manhã e no final do dia, quando a probabilidade de os observarmos expostos ao sol é maior.
Local: Espelho de Água
Programa: consulte aqui o programa detalhado

MICROMAMÍFEROS E MORCEGOS
Apesar de serem muitas vezes considerados como pestes e vetores de doenças, os micromamíferos são, na realidade, uma peça chave para o equilíbrio dos ecossistemas, já que são a base da dieta de muitas espécies como mamíferos carnívoros, aves de rapina e répteis, dispersores de sementes e predadores de grande quantidade e diversidade de invertebrados. No Parque de Serralves podem observar-se duas espécies: o rato-das-hortas e o musaranho-de-dentes-brancos. Conheça mais sobre os micromamíferos do Parque, participando na sua inventariação durante as sessões de monitorização com armadilhas.
Os morcegos são seres misteriosos para a maioria das pessoas, nomeadamente devido aos seus hábitos noturnos. Possuem a capacidade de se movimentarem no escuro utilizando um sistema de ecos de ultrassons. As espécies descritas em Portugal alimentam-se principalmente de insetos, funcionando como controlo das populações de insetos. Enfrentam graves problemas de conservação associados à perda e alteração do habitat. O Parque de Serralves oferece abrigo e/ou alimento a pelo menos duas espécies de morcegos: o morcego-anão e o morcego-hortelão. Conheça mais sobre os morcegos do Parque, participando na sua inventariação durante as sessões de observação noturnas com deteção por ultrassons.
Local: Clareira dos Teixos
Programa: consulte aqui o programa detalhado

INSETOS E ARANHAS
Os insetos, artrópodes com 3 pares de patas e o corpo dividido em 3 segmentos, representam cerca de 90% de todas as espécies animais conhecidas. Herbívoros, predadores, polinizadores e decompositores, são elementos fundamentais para o equilíbrio dos ecossistemas. São também a principal fonte de alimentos para muitos outros grupos animais como anfíbios, répteis, aves e mamíferos. As aranhas, artrópodes com 4 pares de patas e corpo organizado em 2 segmentos, contam com mais de 40 000 espécies, na sua grande maioria, predadores de outros artrópodes, incluindo muitos insetos. A mais conhecida forma de caça destes animais é através do auxílio de teias que tecem com fios de seda. Conheça mais sobre os invertebrados do Parque, participando nas sessões de inventariação de aranhas e insetos diurnos ou noturnos.
Local: Junto à escultura de Maria Nordman
Programa: consulte aqui o programa detalhado

PLANTAS
O Parque de Serralves é reconhecido pela diversidade do seu património arbóreo e arbustivo, composto por cerca de 8000 exemplares, pertencentes a sensivelmente 230 espécies e variedades, nativas e exóticas. Para além disso, também as plantas herbáceas têm uma importante presença no Parque, especialmente nos prados e clareiras. Descubra mais sobre as plantas do Parque, aprenda a identificá-las e venha conhecer as árvores notáveis do Parque.
As briófitas, vulgarmente designadas por musgos, são plantas essencialmente terrestres, com diversas formas, texturas e até cores. Desempenham papéis essenciais em muitos ecossistemas, tais como retenção de água, contribuição para a formação de solos como pioneiros na colonização de habitats, reciclagem de nutrientes, produção de biomassa e fixação de carbono. Os tapetes de musgos são também o habitat de muitos invertebrados. Conheça mais sobre os musgos do Parque, participando nas sessões de inventariação, aprenda a identificá-los e ajude-nos a aumentar a lista de espécies identificadas.
Local: Bosque das Faias
Programa: consulte aqui o programa detalhado

LÍQUENES E COGUMELOS
Os líquenes são seres que resultam da simbiose entre um fungo e uma alga ou cianobactéria. Podem assumir diferentes formas, cores e tamanhos, e colonizam os mais diversos habitats, como troncos de árvores ou rochas. As cerca de 19 000 espécies atualmente conhecidas em todo o mundo atestam o sucesso desta união. Pela sensibilidade de algumas espécies à poluição, são muitas vezes utilizados como bioindicadores da qualidade do ar. Conheça mais sobre os líquenes do Parque, participando nas sessões de inventariação, aprenda a identificá-los e ajude-nos a aumentar a lista de espécies identificadas.
O reino dos fungos, do qual fazem parte os cogumelos, apesar de um dos maiores e mais diversos, é ainda pouco conhecido. Estimativas recentes apontam para 1,5 milhões de espécies, das quais apenas cerca de 55 000 produzirão cogumelos. Os cogumelos são as estruturas dos fungos envolvidos na reprodução destas espécies. Os fungos são peças fundamentais no equilíbrio de todos os ecossistemas, podendo ser encontrados desde as regiões polares até aos trópicos, desempenhando importantes funções como a reciclagem de nutrientes ou a associação com outros seres vivos (plantas ou animais). Conheça mais sobre os cogumelos do Parque, participando nas sessões de inventariação, aprenda a identificá-los e ajude-nos a aumentar a lista de espécies identificadas.
Local: Arboreto
Programa: consulte aqui o programa detalhado

O que significa BioBlitz?
"Bio” significa vida e "Blitz” fazer algo rápido e intensivamente.
Tem como objetivo encontrar e identificar o maior número possível de espécies, numa área específica, ao longo de um curto período de tempo, funcionando como uma inventariação biológica.
    
Como funciona?
As espécies são classificadas em diferentes grupos biológicos, de que são exemplo: as plantas, líquenes, cogumelos, répteis, anfíbios, invertebrados, aves, micromamíferos. O resultado final de um BioBlitz é a contagem das espécies encontradas em cada um destes grupos.

Em que difere de outro inventário científico?
Um inventário científico é normalmente limitado a biólogos e outros investigadores. No BioBlitz participam, além de cientistas voluntários, famílias, alunos, professores e outros membros da comunidade.

Porquê um BioBlitz em Serralves?
O Parque de Serralves constitui-se como parte fundamental da estrutura ecológica do Porto, contribuindo para a diversidade potencial de habitats que ocorrem no espaço urbano. O BioBlitz contribui para aumentar o conhecimento existente e para o partilhar com o público.

INFORME-SE
Consulte a localização das Estações de Inventariação no Parque, os horários das Sessões de Inventariação com investigadores, das Oficinas em Família e das outras atividades.

PARTICIPE
Ajude os investigadores a encontrar plantas e animais no Parque durante as sessões de inventariação.

IDENTIFIQUE
Monitorize em autonomia AVES e BORBOLETAS.

REGISTE
Ajude a registar os dados recolhidos na Plataforma online "Biodiversidade e Ambiente”.
A Plataforma "Biodiversidade e Ambiente” é um centro de recursos sobre biodiversidade em contexto urbano que pretende difundir conhecimento científico nesta área junto de públicos diversificados. O Parque de Serralves é dado a conhecer nas vertentes flora, fauna e qualidade do ambiente, estando disponíveis online brochuras informativas e sugestões de atividades. O público é ainda convidado a monitorizar ocorrências no Parque através de fichas de campo e protocolos de observação disponibilizados, contribuindo para a produção de dados científicos sobre biodiversidade urbana.

DIVIRTA-SE
Aproveite ao máximo estes dois dias.
Obrigado pela sua ajuda!
Venha apoiar-nos no BIOBLITZ SERRALVES 2014 e ajude-nos a dar a conhecer a fauna e flora do Parque de Serralves. Pode participar no acolhimento, no apoio às atividades ou nos inquéritos ao público.
Saiba mais e inscreva-se aqui até 30 de abril.

As cerca de 10 000 espécies de aves que habitam o nosso planeta possuem uma capacidade de adaptação ambiental fascinante, marcando presença em praticamente todos os ecossistemas terrestres, inclusive em ambiente urbano. No Parque de Serralves já foram observadas mais de 90 espécies. Melros, gaios, chapins e piscos-de-peito-ruivo são algumas das espécies que se observam com mais facilidade em qualquer altura do ano no Parque. Conheça mais sobre as aves do Parque participando na sua inventariação, durante as sessões de anilhagem, observação com binóculos e identificação das aves pelo canto.

PROGRAMA 03 MAI (SAB)

14h00-20h00
Monitorização em Autonomia
Levantamento de Kits na Estação das Aves.
Registo dos dados na Plataforma de Monitorização na Estação de Registo de Dados obtidos em Autonomia, localizada na entrada do Parque, junto ao Acolhimento.

14h00-19h00, Estação das Aves, Clareira das Azinheiras
Oficina para Famílias

15h00-15h30 | 17h00-17h30, Sala de Formação/Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Aves

17h00-18h30 | 18h30-20h00
Sessão de Inventariação: observação de Aves
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação das Aves, Clareira das Azinheiras

PROGRAMA 04 MAI (DOM)
 
08h00-09h00 | 09h00-10h00
Sessão de Inventariação: anilhagem de Aves
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete a partir das 7h30 na receção do Museu de Serralves.

10h00-13h00
Monitorização em Autonomia
Levantamento de Kits: no Acolhimento (08h00-10h00) e na Estação das Aves (10h00-13h00).
Registo dos dados na Plataforma de Monitorização na Estação de Registo de Dados obtidos em Autonomia, localizada na entrada do Parque, junto ao Acolhimento.

10h00-13h00, Estação das Aves, Clareira das Azinheiras
Oficina para Famílias

10h30-11h00, Sala de Formação/Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Aves

Os líquenes são seres que resultam da simbiose entre um fungo e uma alga ou cianobactéria. Podem assumir diferentes formas, cores e tamanhos, e colonizam os mais diversos habitats, como troncos de árvores ou rochas. As cerca de 19 000 espécies atualmente conhecidas em todo o mundo atestam o sucesso desta união. Pela sensibilidade de algumas espécies à poluição, são muitas vezes utilizados como bioindicadores da qualidade do ar. Conheça mais sobre os líquenes do Parque, participando nas sessões de inventariação, aprenda a identificá-los e ajude-nos a aumentar a lista de espécies identificadas.
O reino dos fungos, do qual fazem parte os cogumelos, apesar de um dos maiores e mais diversos, é ainda pouco conhecido. Estimativas recentes apontam para 1,5 milhões de espécies, das quais apenas cerca de 55 000 produzirão cogumelos. Os cogumelos são as estruturas dos fungos envolvidos na reprodução destas espécies. Os fungos são peças fundamentais no equilíbrio de todos os ecossistemas, podendo ser encontrados desde as regiões polares até aos trópicos, desempenhando importantes funções como a reciclagem de nutrientes ou a associação com outros seres vivos (plantas ou animais). Conheça mais sobre os cogumelos do Parque, participando nas sessões de inventariação, aprenda a identificá-los e ajude-nos a aumentar a lista de espécies identificadas.

PROGRAMA 03 MAI (SAB)

14h00-19h00, Estação dos Líquenes e Cogumelos
Oficina para Famílias

15h00-16h30
Sessão de Inventariação: À descoberta dos Líquenes
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Líquenes e Cogumelos

15h00-16h30 | 16h30-18h00
Sessão de Inventariação: À descoberta dos Cogumelos
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Líquenes e Cogumelos

PROGRAMA 04 MAI (DOM)

10h00-13h00, Estação dos Líquenes e Cogumelos
Oficina para Famílias

11h00-12h30
Sessão de Inventariação: À descoberta dos Líquenes
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Líquenes e Cogumelos

10h00-11h30 | 11h30-13h00
Sessão de Inventariação: À descoberta dos Cogumelos
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Líquenes e Cogumelos

Em Portugal ocorrem 17 espécies de anfíbios. Os anfíbios encontram-se numa situação muito delicada em termos de conservação: uma em cada três espécies de anfíbios do mundo apresenta estatuto de conservação preocupante. No Parque de Serralves conhecem-se quatro espécies diferentes de anfíbios: rã-verde; tritão-de-ventre-laranja; sapo-parteiro-comum e salamandra-de-pintas-amarelas. Conheça mais sobre os anfíbios do Parque, participando na sua inventariação durante as sessões de observação de adultos e captura de girinos na água.
Os répteis são dos animais mais incompreendidos, em grande parte devido ao desconhecimento da sua biologia e ecologia. A maioria das espécies que ocorrem em Portugal é totalmente inofensiva e todas optam primordialmente pela fuga quando se sentem ameaçadas. O seu comportamento esquivo e discreto permite-lhes passar despercebidos, tornando a sua observação um desafio. No Parque de Serralves ocorrem pelo menos duas espécies de répteis: lagartixa-de-Bocage e licranço. Conheça mais sobre os répteis do Parque, participando na sua inventariação, durante a manhã e no final do dia, quando a probabilidade de os observarmos expostos ao sol é maior.

PROGRAMA 03 MAI (SAB)

14h00-19h00, Estação Anfíbios e Répteis, Espelho de Água
Oficina para famílias

15h00-16h00 | 16h00-17h00 | 17h00-18h00 | 18h00-19h00
Sessão de Inventariação: À procura de Anfíbios
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Anfíbios e Répteis

17h00-18h00 | 18h00-19h00
Sessão de Inventariação: Em busca de Répteis
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Anfíbios e Répteis

15h30-16h00 | 17h30-18h00, Sala de Formação/ Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Anfíbios e Répteis

20h30-22h00 | 22h30-24h00
Sessão de Inventariação (noturna): À procura de Anfíbios
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete durante o dia na Estação dos Anfíbios e Répteis.

PROGRAMA 04 MAI (DOM)

10h00-13h00, Estação Anfíbios e Répteis, Espelho de Água
Oficina para famílias

10h00-11h00 | 11h00-12h00 | 12h00-13h00
Sessão de Inventariação: À procura de Anfíbios
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Anfíbios e Répteis

10h00-11h00 | 11h00-12h00 | 12h00-13h00
Sessão de Inventariação: Em busca de Répteis
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Anfíbios e Répteis

11h00-11h30, Sala de Formação/ Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Anfíbios e Répteis

Os insetos, artrópodes com 3 pares de patas e o corpo dividido em 3 segmentos, representam cerca de 90% de todas as espécies animais conhecidas. Herbívoros, predadores, polinizadores e decompositores, são elementos fundamentais para o equilíbrio dos ecossistemas. São também a principal fonte de alimentos para muitos outros grupos animais como anfíbios, répteis, aves e mamíferos. As aranhas, artrópodes com 4 pares de patas e corpo organizado em 2 segmentos, contam com mais de 40 000 espécies, na sua grande maioria, predadores de outros artrópodes, incluindo muitos insetos. A mais conhecida forma de caça destes animais é através do auxílio de teias que tecem com fios de seda. Conheça mais sobre os invertebrados do Parque, participando nas sessões de inventariação de aranhas e insetos diurnos ou noturnos.

PROGRAMA 03 MAI (SAB)

14h00-19h00, Estação dos Insetos e Aranhas
Oficina para Famílias

14h00-20h00
Monitorização de borboletas em Autonomia
Levantamento de Kits na Estação dos Insetos e Aranhas.
SAB, 14h00-20h00 e DOM, 10h00-13h00 na Estação dos Insetos e Aranhas
DOM, 8h00-10h00 no Acolhimento
Registo dos dados na Plataforma de Monitorização na Estação de Registo de Dados obtidos em Autonomia, localizada na entrada do Parque, junto ao Acolhimento.

15h00-16h00 | 16h00-17h00 | 17h00-18h00 | 18h00- 19h00
Sessão de Inventariação: À procura de Insetos e Aranhas
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Insetos e Aranhas

16h30-17h30, Lagar do Parque de Serralves
Conversas sobre Biodiversidade e apresentação do Livro "Libélulas de Portugal”
Com Ernestino Maravalhas

16h30-17h00 | 18h30-19h00, Sala de Formação/ Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Insetos e Borboletas

20h00-21h30 | 22h00-23h30
Sessão de inventariação (noturna): À procura de Insetos, Borboletas
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete durante o dia na Estação dos Insetos e Aranhas.

PROGRAMA 04 MAI (DOM)


10h00-13h00
Monitorização de borboletas em Autonomia
Levantamento de Kits: no Acolhimento (08h00-10h00) e na Estação dos Insetos e Aranhas (10h00-13h00). Registo dos dados na Plataforma de Monitorização na Estação de Registo de Dados obtidos em Autonomia, localizada na entrada do Parque, junto ao Acolhimento.

10h00-13h00, Estação dos Insetos e Aranhas
Oficina para Famílias

10h00-11h00 | 11h00-12h00 | 12h00-13h00
Sessão de Inventariação: À procura de Insetos e Aranhas
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Insetos e Aranhas

12h00-12h30, Sala de Formação/ Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Insetos e Borboletas

Apesar de serem muitas vezes considerados como pestes e vetores de doenças, os micromamíferos são, na realidade, uma peça chave para o equilíbrio dos ecossistemas, já que são a base da dieta de muitas espécies como mamíferos carnívoros, aves de rapina e répteis, dispersores de sementes e predadores de grande quantidade e diversidade de invertebrados. No Parque de Serralves podem observar-se duas espécies: o rato-das-hortas e o musaranho-de-dentes-brancos. Conheça mais sobre os micromamíferos do Parque, participando na sua inventariação durante as sessões de monitorização com armadilhas.
Os morcegos são seres misteriosos para a maioria das pessoas, nomeadamente devido aos seus hábitos noturnos. Possuem a capacidade de se movimentarem no escuro utilizando um sistema de ecos de ultrassons. As espécies descritas em Portugal alimentam-se principalmente de insetos, funcionando como controlo das populações de insetos. Enfrentam graves problemas de conservação associados à perda e alteração do habitat. O Parque de Serralves oferece abrigo e/ou alimento a pelo menos duas espécies de morcegos: o morcego-anão e o morcego-hortelão. Conheça mais sobre os morcegos do Parque, participando na sua inventariação durante as sessões de observação noturnas com deteção por ultrassons.

PROGRAMA 03 MAI (SAB)

14h00-19h00, Estação Micromamíferos e Morcegos
Oficina para famílias

16h00-17h00 | 17h00-18h00 | 18h00-19h00
Sessão de Inventariação: À procura de Micromamíferos
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação dos Micromamíferos e Morcegos

15h00-16h00, Lagar do Parque de Serralves
Conversas sobre Biodiversidade e apresentação do Livro "Atlas dos Morcegos”
Com Hugo Rebelo (CIBIO/ InBIO) e Francisco Amorim (CIBIO/ InBIO e Coordenador Regional do Atlas dos Morcegos da Região Norte)

16h00-16h30 | 18h00-18h30, Sala de Formação/ Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Morcegos

20h00-21h30 | 20h30-22h00 | 22h00-23h30 | 22h30-24h00
Sessão de Inventariação (noturna): À procura de Morcegos
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete durante o dia na Estação dos Micromamíferos e Morcegos

PROGRAMA 04 MAI (DOM)

08h00-09h00 | 09h00-10h00 | 10h00-11h00 | 11h00-12h00
Sessão de Inventariação: À procura de Micromamíferos
Lotação: 25 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete das 7h30 às 9h00 na receção do Museu de Serralves e meia hora antes do início de cada sessão a partir das 9h30 na Estação dos Micromamíferos e Morcegos.

10h00-13h00, Estação Micromamíferos e Morcegos
Oficina para famílias

11h30-12h00, Sala de Formação/ Espaço.Parque
Documentário "Há vida em Serralves”: Episódio Morcegos

O Parque de Serralves é reconhecido pela diversidade do seu património arbóreo e arbustivo, composto por cerca de 8000 exemplares, pertencentes a sensivelmente 230 espécies e variedades, nativas e exóticas. Para além disso, também as plantas herbáceas têm uma importante presença no Parque, especialmente nos prados e clareiras. Descubra mais sobre as plantas do Parque, aprenda a identificá-las e venha conhecer as árvores notáveis do Parque.
As briófitas, vulgarmente designadas por musgos, são plantas essencialmente terrestres, com diversas formas, texturas e até cores. Desempenham papéis essenciais em muitos ecossistemas, tais como retenção de água, contribuição para a formação de solos como pioneiros na colonização de habitats, reciclagem de nutrientes, produção de biomassa e fixação de carbono. Os tapetes de musgos são também o habitat de muitos invertebrados. Conheça mais sobre os musgos do Parque, participando nas sessões de inventariação, aprenda a identificá-los e ajude-nos a aumentar a lista de espécies identificadas.

PROGRAMA 03 MAI (SAB)

14h00-19h00, Estação das Plantas
Oficina para Famílias

14h30-15h30 | 17h30-18h30
Sessão de Inventariação: Identificação de Árvores e Arbustos
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação das Plantas

15h00-16h30
Sessão de Inventariação: À descoberta de Briófitas
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação das Plantas

18h00-19h00, Lagar do Parque de Serralves
Conversas sobre Biodiversidade e apresentação do Livro "Porto - Public Green Space Morphology and Biodiversity: Habitat Mapping and Description" (Book 2)
Com Paulo Farinha Marques (CIBIO/InBIO)

PROGRAMA 04 MAI (DOM)

10h00-13h00, Estação das Plantas
Oficina para Famílias

10h00-11h00 | 11h00-12h00
Sessão de Inventariação: Identificação de Árvores e Arbustos
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação das Plantas

11h00-12h30
Sessão de Inventariação: À descoberta de Briófitas
Lotação: 20 pessoas
Acesso: mediante levantamento de bilhete meia hora antes na Estação das Plantas
Este concurso tem como tema "A Biodiversidade no Parque de Serralves” e decorre durante o BioBlitz Serralves 2014 (3 e 4 de maio).

Destinatários
Aberto à participação do público em geral, contemplando uma categoria para jovens com idade inferior a 16 anos.

Objetivos
- Sensibilizar para a observação da Natureza, incentivando a conservação e a valorização da Biodiversidade em Parques Urbanos;
- Promover e registar a partilha de diferentes formas de olhar e sentir, estimulando laços de proximidade entre os cidadãos e os espaços verdes da cidade;
- Promover a fotografia enquanto meio de expressão;
- Fomentar o surgimento de novos valores no mundo da fotografia.

Regulamento
Consulte aqui o regulamento do concurso ou no Acolhimento do BioBlitz Serralves 2014.

03 mai (sáb), 15h30-16h30, Auditório de Serralves
Estudar a Biodiversidade em Portugal: o caso do CIBIO/ InBIO
Nuno Ferrand de Almeida, Diretor do CIBIO

Teste os seus conhecimentos num jogo animado de perguntas sobre biodiversidade.

Local: Sala Panorâmica/Espaço.Parque
Acesso: entrada livre, sujeito à lotação da sala
Horários:
03 mai (sáb): 15h30-16h30 e 17h00-18h00
04 mai (dom): 11h00-12h00

Jardim Maria Nordman e Alameda dos Castanheiros
Sábado: 14h00-21h00
Domingo: 08h00-14h00

Bar do Auditório
Sábado: 10h00-23h00 (inclui o serviço de jantar com menu de 8€ com entrada, prato principal, sobremesa e café)
Domingo: 09h00-20h00

Casa de Chá
Encerrada no sábado, abre no domingo no horário normal.
CIBIO/ InBIO
O CIBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos/ InBIO - Laboratório Associado, Universidade do Porto é uma unidade de I&D que desenvolve investigação básica e aplicada no domínio das ciências biológicas e, mais especificamente, nas principais componentes da biodiversidade: genes, espécies e ecossistemas.
A missão abrange os seguintes objetivos:
1. Contribuir para o aprofundamento do conhecimento científico nas áreas da biodiversidade biológica, e nos princípios subjacentes à partição da variação genotípica e fenotípica;
2. Contribuir para o aprofundamento e integração do conhecimento ecológico, taxonómico e biogeográfico de acordo com uma abordagem multi-escalar do património biológico Global, com especial foco no património Ibérico e Mediterrânico;
3. Aplicar o conhecimento científico no desenvolvimento de propostas e ferramentas orientadas para o estabelecimento de prioridades de conservação e programas de gestão, incluindo a proteção e recuperação de habitats, a identificação de espécies crípticas ou raças domésticas geneticamente distintas, por disseminação a entidades nacionais e internacionais ligadas à conservação;
4. Utilizar dados de espécies, domésticas e selvagens, na melhoria das práticas de gestão que lhe estão associadas, em estreita colaboração com entidades locais;
5. Contribuir para a formação avançada de estudantes a diferentes níveis, nas áreas da evolução e biologia da conservação;
6. Promover a compreensão e valorização da biodiversidade do público através da comunicação das atividades científicas.

ICNF
O ICNF, I.P. – Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, é um instituto público integrado na administração indireta do Estado e tem por missão propor, acompanhar e assegurar a execução das políticas de conservação da natureza e das florestas, visando a conservação, a utilização sustentável, a valorização, a fruição e o reconhecimento público do património natural, promovendo o desenvolvimento sustentável dos espaços florestais e dos recursos associados, fomentar a competitividade das fileiras florestais, assegurar a prevenção estrutural no quadro do planeamento e atuação concertadas no domínio da defesa da floresta e dos recursos cinegéticos e aquícolas das águas interiores e outros diretamente associados à floresta e às atividades silvícolas.
FUNDAÇÃO DE SERRALVES
Diretor do Parque: João Almeida
Serviço Educativo: Elisabete Alves, Anabela Silva, Carla Almeida

CIBIO/ InBIO
Diretor: Nuno Ferrand de Almeida
Assessoria de Comunicação: Maria João Fonseca
Projeto "Serralves 360° - Paisagem e Biodiversidade”
Equipa: Joana Mexia de Almeida, Pedro Nogueira, Raquel Ribeiro, Sofia Viegas
Coordenação Científica do Projeto: CIBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos/ InBIO - Laboratório Associado, Universidade do Porto

Investigadores do CIBIO/ InBIO responsáveis pelas Estações de Inventariação:

Aves (Ricardo Lopes), Anfíbios (Raquel Ribeiro), Répteis (José Carlos Brito), Micromamíferos (Joana Paupério), Morcegos (Hugo Rebelo), Insetos e Aranhas (José Manuel Grosso-Silva), Árvores e Arbustos (Sofia Viegas), Briófitas (Cristiana Vieira), Líquenes (Joana Marques), Cogumelos (Ricardo Castilho)

Ser Amigo faz a diferença.
Junte-se a nós! 

MoradaRua D. João de Castro, 210
4150-417 Porto Portugal
Latitude 41º 9'35.40"N
Longitude 8º39'35.35ºW
CONTACTE-NOS 226156500
SIGA-NOS
Serralves