Facebook Linkedin Twitter
#
CONTACTE-NOS
(+351) 226 156 500
O PROCESSO SAAL: ARQUITETURA E PARTICIPAÇÃO, 1974-1976
de 01 NOV 2014 a 01 FEV 2015
Esta é a primeira grande exposição dedicada ao SAAL (Serviço de Apoio Ambulatório Local), um projeto arquitetónico e político criado poucos meses depois do 25 de Abril de 1974. Esta fusão entre arquitetura e participação direta, numa tentativa de atender às necessidades de populações desfavorecidas, foi um dos projetos mais pioneiros na Europa do seu tempo.
A exposição apresenta 10 projetos exemplares do SAAL através de maquetas, fotografias históricas, gravações sonoras, documentários e filmes de 8 e 16mm. A mostra também promove uma reflexão contemporânea sobre as repercussões do SAAL, incluindo uma série de encomendas fotográficas realizadas pelos fotógrafos André Cepeda, José Pedro Cortes e Daniel Malhão que apresentam o estado atual de alguns dos projetos mais emblemáticos do SAAL e uma instalação da artista Ângela Ferreira, especialmente criada para a exposição e que lida com a memória histórica e política de um dos momentos mais marcantes para a sociedade e para a arquitetura portuguesas.

Esta exposição é comissariada pelo curador independente Delfim Sardo, Director Artístico da Trienal de Arquitetura de Lisboa de 2010 e é organizada pelo Museu de Serralves em colaboração com o Canadian Center for Architecture, Montreal. 

Datas de exposição
Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto: 31 out 2014 - 01 fev 2015
Centro Canadiano de Arquitetura, Montreal: 12 mai -  04 out 2015


Actividades Relacionadas
INAUGURAÇÃO

31 OUT (SEX), 22H00, ENTRADA LIVRE
VISITAS E CONVERSAS

01 NOV (SÁB), 16H00, GALERIAS DO MUSEU 
Visita à exposição por Delfim Sardo (curador da exposição) e José António Bandeirinha
Lotação: 30 pessoas
Acesso: mediante aquisição de bilhete Museu e Parque (emitido no dia)

15 NOV (SÁB), 15H00, GALERIAS DO MUSEU
Visita à exposição para Amigos de Serralves por Arqª Ana Vieira
Lotação: 30 pessoas
Acesso: gratuito

29 NOV (SÁB), 17H30, GALERIAS DO MUSEU 
Conversa na exposição por André Cepeda, José Pedro Cortes e Daniel Malhão
Lotação: 30 pessoas
Acesso: mediante aquisição de bilhete Museu e Parque (emitido no dia)

10 JAN 2015, SÁB, 16H00-19H00, AUDITÓRIO
Mesa Redonda - Fotografia, Modos de usar
Participantes: André Cepeda, Ângela Ferreira, Nuno Crespo, Filomena Silvano e Pedro Alfacinha
Moderação: Ricardo Nicolau e Liliana Coutinho
Lotação: 250 pessoas
Acesso: 5€ (Amigos de Serralves, estudantes e maiores 65 anos: 50% desconto)
Mais informação aqui.

23 JAN (SEX), 19H30, GALERIAS DO MUSEU 
Visita à exposição por representantes dos Moradores dos Bairros SAAL
Lotação: 30 pessoas
Acesso: mediante aquisição de bilhete Museu e Parque (emitido no dia)

VISITAS GUIADAS POR MONITORES DO SERVIÇO EDUCATIVO

Lotação: 30 pessoas
Acesso: mediante aquisição de bilhete Museu e Parque (emitido no dia)

02 NOV (DOM), 12H00–13H00, GALERIAS DO MUSEU
Por Ana vieira

07 DEZ (DOM), 12H00–13H00, GALERIAS DO MUSEU
Por Andreia Coutinho

25 JAN (DOM), 12H00–13H00, GALERIAS DO MUSEU
Por Ana Vieira



CONVERSAS ABERTAS NOS BAIRROS DO SAAL-NORTE

08 e 22 NOV; 13 DEZ; 17 JAN (SÁB), 16H00-18H00, AMBULATÓRIO 
Conversas Abertas nos Bairros do SAAL-Norte – Bouça, Leal, Antas, São Vitor
08 nov: Bairro da Bouça 
22 nov: Bairro do Leal
13 dez: Bairro das Antas
17 jan: Bairro de São Vitor
TEATRO / PERFORMANCE / MÚSICA / INSTALAÇÃO

09 NOV (DOM), 18H00  GALERIAS DO MUSEU 
CONCERTO / PERFORMANCE SOBRE FOTOGRAFIAS DO PROCESSO SAAL DO ARQ. ALEXANDRE ALVES COSTA 
JORGE QUEIJO
Concerto / Performance interpretado por Marta Bernardes, com manipulação de gira-discos por Pedro Augusto e música de Iannis Xennakis – compositor que aproximou, no seu processo criativo, música e arquitetura –, a partir do arquivo documental do movimento popular no SAAL do Arquiteto Alexandre Alves Costa. 

23 NOV (DOM), 18H00  AUDITÓRIO 
BAIRRO
ANA LUÍSA VELOSO 
A partir de um conjunto de guitarras, Ana Luísa Veloso e Gil Teixeira criam um "ecossistema” que se desenvolve a partir das relações e interações estabelecidas por algumas ideias sonoras e musicais iniciais. Estas ideias poderão surgir a partir de sons pré-gravados (field recordings, por exemplo) ou de guitarras que, munidas de dispositivos amplificadores e espalhadas pelo palco atuem como colunas. 

14 DEZ (DOM), 18H00, BAIRRO DA BOUÇA
COMPOSIÇÃO PARA 128 FOGOS
MARTA BERNARDES E JORGE QUEIJO 
Obra visual, sonora e performativa que utiliza o próprio espaço, arquitetónico e humano, como material de composição. Trata-se de uma performance interpretada pelos moradores da Bouça e dividida em três andamentos, correspondendo aos três corredores principais do bairro. Durante a apresentação, os sons e ações serão produzidos pelos moradores através das janelas e varandas, encontrando-se o público no espaço entre cada lanço de casas. 

11, 18 e 25 JAN (DOM), 16HOO, BAIRRO DO LEAL
MUSEU SAAL – MEMÓRIAS DOS MORADORES
TEATRO DO VESTIDO     
Escrita, encenada e dirigida por Joana Craveiro, e interpretada por Vitor Hugo Pontes, esta "visita guiada” percorre memórias do processo SAAL e da cidade anterior a este processo, marcada pela pobreza e pela precariedade da habitação; traz-nos memórias de espaços que já não existem, mas que ainda persistem na memória e nos testemunhos dos moradores do bairro. 
 
24 JAN (SÁB) e 01 FEV (DOM), FOYER DO AUDITÓRIO  
BLOCO
PEDRO AUGUSTO (GHUNA X) 
Através de elementos audiovisuais recolhidos em alguns bairros do SAAL, esta instalação apresenta um retrato ficcionado de um complexo habitacional, que traduz os movimentos e a dinâmica de quem o habita.

01 FEV (DOM), 18H00
O DIREITO A UMA CASA E O SORRISO NAS FOTOGRAFIAS  
TEATRO DO VESTIDO    
Esta palestra performativa, escrita e interpretada por Joana Craveiro, parte de histórias de vida de alguns dos moradores dos bairros SAAL no Porto, bem como das memórias de alguns dos arquitetos e técnicos das brigadas. Constituído por testemunhos, documentos originais de arquivo, fotografias, este é mais um item do "Museu Vivo de Memórias Pequenas e Esquecidas”, que tem vindo a ser construído pelo Teatro do Vestido, referente à história recente de Portugal. 
COLÓQUIO INTERNACIONAL

14, 15 E 16 NOV (SEX, SÁB, DOM), COLÉGIO DAS ARTES, COIMBRA
74–14 / O SAAL E A ARQUITECTURA #
Organizado pelo Centro de Estudos Sociais e pelo Departamento de Arquitetura da FCTUC / Coimbra, em parceria com a Fundação de Serralves, o Centro de Documentação 25 de Abril e o Docomo Internacional, este colóquio pretende debater o SAAL, enquanto modelo histórico, mas à luz da contemporaneidade, nomeadamente a sua relevância atual para uma reflexão sobre a questão da habitação.  


CINEMA
Ciclo de filmes que pretende contribuir para desenhar o contexto no qual o SAAL se afirmou. São apresentados filmes oriundos da dinâmica do próprio processo, filmes anteriores que retrataram o país e as suas carências e produção filmográfica mais recente, que olha retrospetivamente para este momento crucial da nossa história coletiva. As sessões são acompanhadas de comentários por protagonistas do processo SAAL, observadores privilegiados ou os próprios autores dos filmes. 

27 NOV (QUI), 21H30, Sessão apresentada e comentada por José António Bandeirinha e Margarida Coelho 
- Manuela Bacelar - Meninos Ciganos (1975), 24’  
- Cinequipa - Direito à Habitação (1976), 45’ 
- Luís Filipe Rocha - Barronhos – Quem teve medo do poder popular? (1976), 53’

28 NOV (SEX), 21H30, Sessão apresentada e comentada por Catarina Alves Costa e José Veloso
- Catarina Alves Costa - Casas Para o Povo (2010), 15’  
- António da Cunha Teles  - Continuar a Viver ou Os Índios da Meia Praia (1976), 110’

29 NOV (SÁB), 15H30, Sessão apresentada e comentada por Julião Sarmento e Eduardo Souto de Moura
- Fernando Lopes Belarmino (1964), 74’
 
29 NOV (SÁB), 21H30, Sessão apresentada por Pedro Costa e Abílio Fernandes
- Paulo Rocha - Os Verdes Anos (1963), 91’  
- José Ernesto de Sousa Dom Roberto (1962), 102’ 

30 NOV (DOM), 15H30, Sessão apresentada e comentada por Alexandre Alves Costa e André Tavares
- Filipa César - Porto, 1975 (2010), 10’  
- Pedro Mesquita  - Paredes Meias (2009), 53’ 

30 NOV (DOM), 21H30, Sessão apresentada e comentada por Alexandre Alves Costa e André Tavares 
- Fernando Lopes - Habitat, um desafio (1976), 24’ 
- João de Dias Operações de SAAL (2006), 120’
OFICINA FAMÍLIAS

24 JAN (SÁB), 16H30–18H30, SALA MULTIUSOS
A MINHA CASA, A NOSSA RUA 
Oficina por Ana Vieira e Andreia Coutinho 

#
  • LocalMuseu de Serralves
  • Publico AlvoGeral
  • Dias 01 NOV 2014 - 01 FEV 2015

Catálogo da Exposição


A Exposição


Metedologia


SAAL Porto


SAAL Lisboa


SAAL Setúbal

SAAL Algarve

Corredor

O SAAL Agora - Artistas Convidados

Para Além da Exposição
<

Contexto Social Pré SAAL

O Processo

As Especificidades Geográficas no SAAL

Perspetiva sobre o Momento Atual


Os projetos apresentados foram selecionados pelas suas particularidades, nomeadamente pela dinâmica social que promoveram, pelas questões arquitetónicas que levantaram, pela polémica que criaram em termos de projeto e envolvimento político da população, ou pelas questões relativas ao plano urbanístico que ajudaram a reformular.

PORTO
Bairro São Vítor (Arq.º Álvaro Siza Vieira)
Bairro Antas (Arq.º Pedro Ramalho)
Bairro Miragaia (Arq.º Fernando Távora, Arq.º Bernardo Ferrão e Arq.º Jorge Barros)
Bairro Leal (Arq.º Sérgio Fernandez)

LISBOA
Bairro Curraleira – Embrechados (Arq.º José António Paradela e Arq.º Luís Gravata Filipe) 
Bairro Quinta da Bela Flor (Arq.º Artur Rosa)
Bairro Bacalhau-Monte Côxo (Arq.º Manuel Vicente)
Bairro Quinta das Fonsecas ? Quinta da Calçada (Arq.º Raúl Hestnes)

SETÚBAL
Bairro Casal da Figueira (Arq.º Gonçalo Byrne)

ALGARVE
Bairro Meia-Praia-Apeadeiro, Lagos (Arq.º José Veloso)


Ser Amigo faz a diferença.
Junte-se a nós! 

MoradaRua D. João de Castro, 210
4150-417 Porto Portugal
Latitude 41º 9'35.40"N
Longitude 8º39'35.35ºW
CONTACTE-NOS 226156500
SIGA-NOS
Serralves