Pluralizando o Antropoceno II - Outono 2021

Reimaginando o Futuro do Planeta no Século XXI
Auditório
22 OUT - 07 DEZ 2021

As sessões serão realizadas em Inglês

Evento online, de acesso gratuito, com inscrição obrigatória através deste link

ORGANIZAÇÃO

Centro de Investigação em Antropologia e Saúde (CIAS) | Serralves | Sci-Tech Asia | Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra | Centre For Functional Ecology - Science for People & the Planet

 


CURADOR

Gonçalo Santos (CIAS / Sci-Tech Asia / Universidade de Coimbra)


 

MODERADORES

Gonçalo Santos (CIAS / Sci-Tech Asia / Universidade de Coimbra)

Helena Freitas (Centre For Functional Ecology / Fundação de Serralves)


 

PROGRAMA

A noção do Antropoceno extravasou das ciências geofísicas para as humanidades, ciências sociais, artes, e media, desencadeando um vasto debate global sobre o futuro da vida no planeta. Na “idade dos humanos”, a nossa espécie transformou-se numa das forças geofísicas mais potentes do planeta e as nossas atividades estão a levar-nos a crescentes incertezas ambientais. Se o mundo teve alguma vez a ilusão de estabilidade, enfrenta agora a possibilidade de um futuro com problemas sem fim. Mas o Antropoceno não é apenas uma idade de colapso e destruição ambiental; é também uma idade de ultrapassar desastres e catástrofes e criar novas visões de esperança e de justiça. Os novos desafios das mudanças climáticas, extinção de espécies, e o aumento do nível do mar compelem um reimaginar do lugar da humanidade no mundo, e um repensar urgente das forças dominantes que ameaçam o equilíbrio ecológico do planeta. O uso do termo Antropoceno para denominar esta nova era de incertezas antropogénicas crescentes abriu todo um novo campo de conversas multidisciplinares e interdisciplinares sobre as relações dos seres humanos com o ambiente no século XXI, mas também gerou um entendimento monolítico do Antropoceno como uma experiência humana unificada. Este enquadramento do Antropoceno em redor de um paradigma de espécie universalizante cria um efeito homogeneizante. E no entanto, nem todos os humanos estão igualmente implicados nas forças que conduzem às crises ambientais contemporâneas, e nem todos os humanos são igualmente convidados para os espaços conceptuais onde estes desastres são teorizados ou onde as respostas a estes desastres são formuladas. Esta segunda temporada de Pluralizando o Antropoceno apresentará um conjunto de reflexões antropológicas por figuras maiores das humanidades e das ciências contemporâneas comprometidas com uma visão mais plural dos debates em redor do Antropoceno e das grandes questões de resiliência, adaptação e luta pela justiça ambiental.

800.null contain
Pad2 800x450 cover

A DECORRER

TERMINADAS

Image desktop
Reimaginando o Futuro do Planeta no Século XXI

ORGANIZAÇÃO

Centro de Investigação em Antropologia e Saúde (CIAS) | Serralves | Sci-Tech Asia | Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra | Centre For Functional Ecology - Science for People & the Planet

 


CURADOR

Gonçalo Santos (CIAS / Sci-Tech Asia / Universidade de Coimbra)


 

MODERADORES

Gonçalo Santos (CIAS / Sci-Tech Asia / Universidade de Coimbra)

Helena Freitas (Centre For Functional Ecology / Fundação de Serralves)


 

PROGRAMA

A noção do Antropoceno extravasou das ciências geofísicas para as humanidades, ciências sociais, artes, e media, desencadeando um vasto debate global sobre o futuro da vida no planeta. Na “idade dos humanos”, a nossa espécie transformou-se numa das forças geofísicas mais potentes do planeta e as nossas atividades estão a levar-nos a crescentes incertezas ambientais. Se o mundo teve alguma vez a ilusão de estabilidade, enfrenta agora a possibilidade de um futuro com problemas sem fim. Mas o Antropoceno não é apenas uma idade de colapso e destruição ambiental; é também uma idade de ultrapassar desastres e catástrofes e criar novas visões de esperança e de justiça. Os novos desafios das mudanças climáticas, extinção de espécies, e o aumento do nível do mar compelem um reimaginar do lugar da humanidade no mundo, e um repensar urgente das forças dominantes que ameaçam o equilíbrio ecológico do planeta. O uso do termo Antropoceno para denominar esta nova era de incertezas antropogénicas crescentes abriu todo um novo campo de conversas multidisciplinares e interdisciplinares sobre as relações dos seres humanos com o ambiente no século XXI, mas também gerou um entendimento monolítico do Antropoceno como uma experiência humana unificada. Este enquadramento do Antropoceno em redor de um paradigma de espécie universalizante cria um efeito homogeneizante. E no entanto, nem todos os humanos estão igualmente implicados nas forças que conduzem às crises ambientais contemporâneas, e nem todos os humanos são igualmente convidados para os espaços conceptuais onde estes desastres são teorizados ou onde as respostas a estes desastres são formuladas. Esta segunda temporada de Pluralizando o Antropoceno apresentará um conjunto de reflexões antropológicas por figuras maiores das humanidades e das ciências contemporâneas comprometidas com uma visão mais plural dos debates em redor do Antropoceno e das grandes questões de resiliência, adaptação e luta pela justiça ambiental.

800.null contain