Facebook Linkedin Twitter
CARLOS BARREIRA: DA IDEIA DO DESENHO
de 26 NOV 2011 a 05 MAR 2012

"Da Ideia do Desenho” é uma exposição que resume uma singular maneira de ser e de fazer que se manifesta na obra de Carlos Barreira, na manifestação dessa sabedoria detectável em quem soube encontrar na mecânica do mundo as suas peças de resistência…

A presente exposição apresenta esculturas e desenhos recentes de Carlos Barreira. Um desenho é sempre o resultado de um movimento do corpo sobre a folha de papel. As esculturas de Carlos Barreira não deixam também de ser a expressão de um desenho no espaço, através do movimento que originam, mas o desenho ocupa, na obra do artista, um lugar com uma autonomia particular. O desenho poderá ser para um escultor a expressão técnica de um projecto, um esboço de uma ideia a concretizar, ou o divertimento diarístico que exprime um determinado momento do fazer quotidiano. No entanto, os desenhos de Carlos Barreira relacionam-se com e autonomizam-se da sua escultura pela condição representacional que revelam, para além de qualquer condição projectiva ou documental.  De certo modo, os desenhos de Carlos Barreira são representações de esculturas por existir, mas não de esculturas a existir. O artista trabalha a natureza material dos seus desenhos, operando com escalas, materiais e formas de apresentação que transferem para uma forma bidimensional um apurado sentido objectual da tridimensionalidade.

Os desenhos que Barreira agora apresenta foram realizados para o espaço da exposição do mesmo modo que o foram as esculturas que os acompanham. Estes desenhos inscrevem o gesto na definição das formas, articulam densidades com expressões do claro e do escuro que neles se manifestam. Não sendo desenhos de trabalho, assumem-se como expressão de um trabalho, não sendo desenhos técnicos, revelam uma consciência técnica da materialidade do seu fazer, não sendo representacionais das esculturas que vemos a par deles, parecem feitos a partir delas.

O desenho foi sempre um princípio de trabalho relevante na obra de Carlos Barreira, só que sempre foi tão praticado tanto no torno como na folha de papel... Esta ideia do desenho que a presente exposição apresenta é uma ideia de escultura e, enquanto escultura, o resultado do fazer de um artista que sempre assumiu “não precisar de ir à Grécia, nem a lado nenhum” para nos surpreender com a manifestação do seu trabalho.
Com efeito, tanto a escultura de Carlos Barreira poderia ser aproximada de certas linguagens minimalistas, como o seu desenho, na sua gestualidade, não ilude uma certa dimensão gestual expressionista. No entanto, é a primeiras alusão surpreendida pela natureza cinética destes objectos, sendo a segunda referência desmentível pela composição geométrica das formas construtivas identificáveis nestes desenhos.

João Fernandes

Local:
Museu Municipal Abade Pedrosa
Rua Unisco Godiniz, 100 - 4780 Santo Tirso
Tel.: 252 830 400  (ext. 363/ 364/ 370)

Horário:
Terça a Sexta-Feira, das 9h às 17h

  • LocalMuseu Municipal Abade Pedrosa - Santo Tirso
  • Publico AlvoGeral
  • Dias 26 NOV 2011 - 05 MAR 2012

Ser Amigo faz a diferença.
Junte-se a nós! 

MoradaRua D. João de Castro, 210
4150-417 Porto Portugal
Latitude 41º 9'35.40"N
Longitude 8º39'35.35ºW
CONTACTE-NOS 226156500
SIGA-NOS
Serralves