VISITAS-OFICINA

As visitas-oficina associam o diálogo temático e especulativo a momentos de experimentação prática e dinâmica nos espaços da Fundação de Serralves. Com estas atividades propomos reforçar a vivência de conceitos relacionados com as exposições, a arquitetura ou o ambiente, por intermédio da mediação e da ação orientada pelo processo.
Especialmente desenvolvidas para cada exposição, as visitas-oficina partem da investigação sobre a temática curatorial e a trajetória dos artistas apresentados. Em cada exposição uma ou mais propostas estimulam e desafiam os grupos, com o objetivo de promover a vivência da obra de arte e explorar o potencial criativo que a arte contemporânea pode despertar.

Conceção: Andreia Coutinho, Constança Amador, Filipa Godinho, Helena Gonçalves, Inês Caetano, Inês Soares, Inês Lopes, Joana Mendonça, Joana Nascimento, João Almeida e Silva, José Costa, José Maia, Melissa Rodrigues, Patrícia do Vale, Paulo Jesus, Raquel Correia, Raquel Sambade, Rita Faustino, Rita Martins, Sofia Santos, Sónia Borges, Talkie-Walkie
Público-alvo: pré-escolar, ensino básico, secundário e superior
Funcionamento: 2h duração
Lotação: 10 alunos (mínimo)/ 20 alunos (máximo)
Exercícios de exploração do espaço revelam o processo de trabalho do arquiteto e refletem, de modo conjunto, sobre formas de experienciar os espaços. O Museu de Serralves, projetado por Álvaro Siza, é o ponto de partida para diferentes leituras e recriações dos seus espaços expositivos.
Funcionamento: 2h duração
Lotação: 10 alunos (mínimo)/20 alunos (máximo)
Localização: Museu, Casa ou Parque

Arquitetura em Caixa
Uma caixa contém um conjunto de peças, com diferentes cores, formas e tamanhos, inspiradas em detalhes encontrados no Museu de Serralves. Partiremos à procura desses pormenores percorrendo o Museu e observando a sua arquitetura e faremos
corresponder a cada peça um lugar à vista de todos escondido. A partir do desenho e redesenho destas formas, criaremos plantas e mapas aosquais mudaremos a escala, alterando-lhes a perspetiva. Surgirão casas, escolas, teatros, lojas e tantas outras construções
que poderemos, a partir da sua associação, descobrir ruas, praças, largos, parques… Em caixa traremos objetos invisíveis que, quando encaixados, nos transportarão para lugares incríveis!
Conceção: Inês Caetano e João Almeida e Silva
Público-alvo: pré-escolar, ensino básico e secundário

Museu imprevisível
De paredes estreitas e muito altas ou largas e mais baixinhas. Com mesas no teto ou de olhos postos no jardim. Este museu esconde tesouros sem fim! Hoje estão estes, mas amanhã outros virão e numa caça aos tesouros iremos descobrir quais são!
Depois um novo museu iremos criar. Basta juntar as tuas paredes às minhas para novos tesouros podermos lá guardar!
Conceção: Inês Caetano e Rita Faustino
Público-alvo: pré-escolar e ensino básico (1º ciclo)

Sem meias medidas
"Sem meias medidas" é um convite a sentir plenamente o espaço através do corpo. Dimensões que se experimentam em palmos, ângulos que se abraçam, perspetivas que iludem o olhar… O corpo será a tua régua, o teu esquadro, a tua bússola. Conteúdos de escola que descobrimos, a
cada passo, num percurso orientado por esse gigante que é Serralves. Que história conta este lugar? Que coordenadas te tornam navegador em terra firme?
Conceção: Andreia Coutinho e Talkie Walkie
Público-alvo: ensino básico (2º e 3º ciclos)

Trinta por uma linha
Em Serralves vais fazer "trinta por uma linha”! A cada passo, um novo desafio. Brincar dentro do Museu, desenhar com linhas mágicas, transformar rampas em escorregas, serão algumas das traquines que faremos! Da ginástica do corpo vamos
partir à descoberta do espaço, com braços que se convertem em linhas, pernas que imitam rãs para chegar ao teto e pés atrevidos que se aventuram em todas as direções. Nesta maratona serás sempre vencedor!
Conceção: Andreia Coutinho e Talkie Walkie
Público-alvo: pré-escolar e ensino básico (1º ciclo) 
Partindo à descoberta da biodiversidade presente no Parque, estas visitas-oficina, realizadas inteiramente ao ar livre, centram-se no mundo natural de Serralves. As árvores e os arbustos, as plantas aromáticas e as suas singularidades, a diversidade de fauna presente ou a importância da água na criação dos diferentes habitats são as propostas que exploram mundos escondidos nos jardins.
Público-alvo: ensino básico ao secundário
Funcionamento: 2h duração
Lotação: 15 alunos (mínimo)/30 alunos (máximo)

O mundo secreto das plantas!
Numa visita pelo Parque de Serralves, comos sentidos bem despertos, partiremosà descoberta das fragâncias de plantasque evoluíram com a especialização de seimpregnarem de aromas! A que cheiramas suas folhas, ramos e cascas? E como estimulam as flores ainda mais a experiência odorífera? Quais os segredos que
guardam por trás dos aromas e quais osusos que fazemos dos seus componentes? Desde a canforeira à alfazema, passandopelos inesquecíveis orégãos, são muitosos segredos fascinantes que te convidamos a descobrir.
Conceção e orientação:Anabela Pereira, André Rodrigues, Carlota Carqueja, Dina Marques, Isabel Bessa

Paisagem: de lugar a postal ilustrado
No Parque de Serralves percorremos espaços tão diversos como jardins formais, outrora privados, parcelas envolventes do Museu, cenários de peças de arte, matas e uma Quinta. Cada espaço encerra em si o uso a que se destina, mas também a intencionalidade com que foi
concebido e construído. Nós, que desfrutamos do lugar, somos conduzidos pela paisagem que nos fala. O que nos diz? E nós, como a representamos? O que dizemos nós da paisagem? Como é a imagem que cada um guarda da paisagem que todos veem? Ao longo de um percurso
guiado exploraremos conceitos básicos de paisagem e seremos desafiados a representar, reformular ou reinventar a paisagem de Serralves.
Conceção e orientação: Anabela Pereira, André Rodrigues, Andreia Machado, Mariana Moranduzzo

Viagem ao centro do Parque
O pilriteiro tem folhas parecidas com as da salsa e os frutos parecem maçãs pequeninas; o azevinho tem folhas cheias de picos para não serem comidas pelos herbívoros, mas os frutos só germinam depois de serem consumidos pelas aves. Nesta visita-oficina vamos imergir no fascinante mundo das plantas do Parque e descobrir como se
identificam, qual a sua importância e que segredos escondem!
Conceção e orientação: Anabela Pereira, André Rodrigues, Cristina Coelho, Isabel Bessa 

Eu, o vento e o tempo: Vamos criar juntos?
Quais as fronteiras entre land art e outras intervenções no meio natural? O que acontece quando a natureza interage com as obras de arte? Ao longo de um percurso pelo Parque, vamos transformar um pedaço de terra (ou da Terra), fazer um gesto na Paisagem, criar ou recriar Lugares.
Será uma visita interativa, em que a perceção, a imaginação e a capacidade criativa dos participantes entrarão em diálogo com as características singulares do Parque de Serralves. Será um momento
para refletir, fazer perguntas, experimentar, criar e praticar o desapego que a natureza nos pede.
Conceção e orientação: André Rodrigues, Andreia Machado, Cristina Coelho, Dina Marques Mariana Moranduzzo

Mergulhar no Parque
Sem água nenhum ser vivo sobrevive, isso todos sabemos! Mas em que aspetos pode este recurso ser determinante? E em Serralves, como influencia plantas e animais ou a própria paisagem? Iremos mergulhar no Parque, observando à superfície, mas também em profundidade e, com a ajuda de pequenas atividades práticas, conhecer os elementos que a água
transporta, a biodiversidade que alberga e muito mais! No final serás capaz de compreender melhor a relação indissociável entre a água e a vida!
Conceção e orientação: André Rodrigues, Anabela Pereira, Carlota Carqueja, Isabel Bessa

Ser Amigo faz a diferença.
Junte-se a nós! 

MoradaRua D. João de Castro, 210
4150-417 Porto Portugal
Latitude 41º9'35.40"N
Longitude 8º39'35.35"W
CONTACTE-NOS 226156500
SIGA-NOS
Serralves