Comemoração do Dia Mundial das Zonas Húmidas

50 anos da Convenção de Ramsar

Conversas Com Ciência


22 FEV 2021

Horário:  18:00

Evento online, de acesso gratuito, com inscrição obrigatória através deste link

O link de acesso será enviado após conclusão do período de inscrições

Pad2 800x450 cover

A sessão Conversas Com Ciência comemora o Dia Mundial das Zonas Húmidas e os 50 Anos da Convenção de Ramsar, assinalados a 2 de fevereiro, e contará com a presença dos oradores convidados José Teixeira (CIIMAR) e Sandra Sarmento (Instituto da Conservação da Natureza e Florestas do Norte), com moderação de Sandra Ramos (CIIMAR).



A importância das pequenas massas de água para conservação da biodiversidade e dos serviços dos ecossistemas.


A investigação nas últimas décadas tem demonstrado que os charcos desempenham um papel ambiental de enorme valor, completamente desproporcional ao seu pequeno tamanho. Entre os serviços ambientais que prestam, contam-se a sua importância na gestão e  disponibilidade de água superficial, controlo de cheias, alta produtividade primática e sumidouro de carbono, e albergarem uma biodiversidade excecional. Contudo, provavelmente devido ao seu pequeno tamanho, o valor dos charcos tem sido subestimado, encontrando-se, por exemplo, em grande parte excluídos da Diretiva-Quadro da Água na Europa, embora esta se destine a proteger "todas as massas de água".

Nesta sessão, será apresentada a importância dos charcos e a necessidade da sua proteção para ajudar a mitigação e adaptação às mudanças climáticas, proteger a biodiversidade e fornecer valiosos serviços dos ecossistemas.

Orador José Teixeira




Os desafios da gestão das zonas húmidas em contexto de alterações climáticas

O Dia Mundial das Zonas Húmidas é celebrado anualmente no dia 2 de fevereiro em virtude da adoção da Convenção sobre Zonas Húmidas no dia 2 de fevereiro de 1971.

A nível mundial, cobrem uma área superior a 12,1 milhões de quilómetros quadrados e favorecem a mitigação de cheias, a produção de alimentos, a melhoria da qualidade da água e o armazenamento de carbono.

São incrivelmente importantes para a manutenção da  biodiversidade do nosso planeta,, desempenhando um papel relevante, como soluções naturais, na adaptação e mitigação do impacte das mudanças climáticas. Os solos húmidos são altamente vulneráveis aos efeitos das alterações climáticas e precisam de ser protegidos, considerando os valores ambientais e socioeconómicos elevados que acarretam.

As zonas húmidas são de facto uma proteção natural, eficaz e económica contra desastres, ajudando as populações humanas a mitigar e lidar com os eventos climáticos extremos,  áreas estas que quando bem geridas, garantem que as comunidades sejam resilientes e possam recuperar, por si só, de desastres.  É, pois, urgente desenvolver ações que ajudem a conservar e a promover o uso sustentável das zonas húmidas!

Oradora Sandra Sarmento

 


S 800xnull Contain
José Teixeira
S 800xnull Contain
Sandra Sarmento
S 800xnull Contain
Sandra Ramos
Image
Image mobile

José Teixeira é doutorado em biologia e coordenador do Gabinete de Comunicação de Ciência do CIIMAR (Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental - Universidade do Porto). Entre outras tarefas, é responsável pelo desenvolvimento e implementação de projetos de literacia do oceano, como a Campanha “Ocean Action”, direcionada para a sensibilização da sociedade para o problema do plástico no Oceano. No âmbito desta Campanha, é também responsável pela curadoria das exposições temáticas “Mar de Plástico” e “Monstros Marinhos”, que combinam ciência, arte e multimédia como ferramentas disseminação.

800.null cover


Parceiro Científico