Rupture | A caça revoluções | Os Mortos | Le souvenir d’un avenir

Ciclo Cinema e Fotografia: Visões Espectrais

Casa do Cinema
15 JUN 2021

Horário: 18:30

Acesso: 3€; Estudante/Jovem, Maiores de 65 e Amigos de Serralves: 1,5€

O acesso ao Auditório da Casa do Cinema é feito pela Rua de Serralves nº 873, 30 minutos antes do início da sessão.

Pad2 800x450 cover

Rupture

Pierre Étaix, Jean-Claud Carrière

FR | 11 min. | 1961

A caça revoluções

Margarida Rêgo

PT | 11 min. | 2013

Os Mortos

Gonçalo Robalo

PT | 30 min. | 2018

Le souvenir d’un avenir

Chris Marker, Yannick Bellon

FR | 42 min. | 2001


Pierre Étaix trabalhou com Jacques Tati no início dos anos 1950 (como designer gráfico e como assistente de realização em Mon oncle) e estreia-se como ator-realizador em nome próprio com esta curta-metragem. Em Rupture, um amante acidentado tenta responder a uma carta de amor, acabando condenado por um processo de desfiguração fotográfica. Já A Caça Revoluções centra-se no dilema da distância fotográfica da memória: a extrema proximidade desfoca, mas ao longe tudo parece mortiço. A realizadora Margarida Rêgo estabelece um espaço onde o arquivo fotográfico retoma o seu sentido original, longe da fatuidade dos registos, e próximo da sua afetuosidade.

Também Gonçalo Robalo constrói todo um filme a partir de um conjunto de fotografias, e das memórias que estas lhe despertam. O realizador elenca, por ordem cronológica, todos os mortos e todas as mortes a que assistiu ao longo da sua vida e que o marcaram indelevelmente. Por fim, Chris Marker, cineasta tantas vezes lembrado pelo seu recurso à imobilidade fotográfica, é aqui convocado através de um dos seus últimos filmes (e também dos menos conhecidos). Dedicado à fotógrafa Denise Bellon, o filme foi corealizado com a filha desta, Yannick Belon. Construído integralmente a partir de fotografias, Le souvenir d’un avenir mergulha no enorme acervo da fotógrafa, que foi uma das fundadoras da agência Alliance-Photo. Marker e Belon trabalham estas imagens como forma de convocar a presença de um olhar.