VIAGEM AO PRINCÍPIO: IDA E VOLTA

30 ANOS DA COLEÇÃO DE SERRALVES NOS PAÇOS DO CONCELHO DA CÂMARA MUNICIPAL DO PORTO
18 JUL - 27 SET 2019
Pad2 800x450 cover

Viagem ao Princípio: Ida e Volta assinala o 30.º aniversário da coleção da Fundação de Serralves através da apresentação de obras que têm um lugar destacado na génese e na história da coleção e do Museu. A exposição, além de ocupar os espaços do Museu, Casa e Parque de Serralves, estende-se para fora das portas da Fundação, numa tradução da sua estreita relação com a cidade do Porto – que, ao longo das últimas três décadas, se consubstanciou quer em importantes exposições de artistas e contextos culturais afirmados naquele que é considerado um dos centros de criação artística mais ativos em Portugal, quer através de mostras realizadas para alguns espaços emblemáticos da cidade. 

Nos Paços do Concelho apresentam-se obras do artista português Rui Chafes (Lisboa, 1966) e do norte-americano Matt Mullican (Santa Mónica, 1951), dois nomes que ocupam um lugar fundamental na história de Serralves. Rui Chafes, além de ter apresentado o seu trabalho em várias exposições no Museu de Serralves – e de ser um dos artistas mais amplamente representados na Coleção da Fundação –, tem uma relação particular com a cidade do Porto, onde expõe regularmente e onde inclusive se pode ver uma sua escultura pública (na Rua das Flores). Com um trabalho que se divide entre a prática do desenho e da escultura, o artista é um dos principais responsáveis pela renovação da escultura portuguesa nas últimas décadas. Conhecido pelos seus trabalhos em ferro em que associa características aparentemente inconciliáveis – nomeadamente atualidade e antiguidade, peso e leveza –, num constante desafio a todas as leis temporais e físicas (desde logo a gravidade), Rui Chafes tem-se destacado pela forma como interroga o papel da arte, e a sua relação com o espectador. Segundo o artista, "Se a arte não nos desperta, então não há nenhuma razão para a fazer. E quem a contemplar perderá o seu tempo.” Confrontando-nos com as características essenciais da prática artística, alheias a tendências e a temporalidades, e atento a questões primordiais que atravessam séculos – como a morte e a transcendência –, o trabalho de Chafes é simultaneamente contemporâneo e antigo: na intersecção entre passado e futuro, contribui decisivamente para fazer desta Viagem ao Princípio: Ida e Volta, exatamente como a famosa fita de Möbius, uma viagem sem princípio nem fim.             

Horário de abertura ao público:
Segunda a Sexta-feira, entre as 09h00 e as 17h00
Encerrado: Sábados, Domingos e Feriados


Image
Image

A DECORRER

TERMINADAS

Image desktop
30 ANOS DA COLEÇÃO DE SERRALVES NOS PAÇOS DO CONCELHO DA CÂMARA MUNICIPAL DO PORTO