Leonilson: Drawn 1975-1993

Museu
24 MAR 2022 - 18 SET 2022
<p>Imagem: São Paulo, a cidade que é uma roubada, São Paulo, 1993 © Cortesia Projeto Leonilson</p>

Imagem: São Paulo, a cidade que é uma roubada, São Paulo, 1993 © Cortesia Projeto Leonilson

Leonilson

Drawn 1975–1993

Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto

24 março a 18 setembro 2022

Leonilson foi um dos grandes expoentes de um movimento da arte brasileira que ficou conhecido como Geração 80. Após o final da ditadura militar em meados dos anos 1980, este grupo de artistas celebrou a sua recém-adquirida liberdade com um estilo de pintura gestual, colorido e expressivo. Enquanto na mesma década a arte pop americana se apropriava dos símbolos de uma sociedade industrial, as obras da Geração 80 criticavam abertamente a sociedade.

Nascido em 1957, Leonilson estudou arte em São Paulo entre 1978 e 1981. Para além de Eva Hesse e Blinky Palermo, dois artistas que conheceu pessoalmente durante as suas viagens pela Europa, a sua principal influência artística foi a transavanguardia italiana. Surgido em finais dos anos 1970, este movimento ficou marcado pelo regresso à figuração, à mitologia antiga e a um intenso uso da cor. Nesta mesma linha, as pinturas e desenhos de Leonilson deste período apresentam um subjetivismo eclético e uma linguagem visual emblemática. Uma exposição de têxteis da seita cristã americana Shakers assinala um momento-chave do início da carreira do artista: os mapas bordados dos Shakers influenciam-no enormemente e inspiram-no a adotar o têxtil como meio artístico. Em 1991, após ter sido diagnosticado com SIDA, a sua linguagem visual muda significativamente: entre 1991 e 1993 o seu trabalho apresenta características diarísticas, revelando a deterioração da sua saúde e deixando transparecer a sua preocupação com a morte. Na fase final da sua vida, Leonilson já só era capaz de trabalhar com tecido, agulha e linhas. Neste período, a linguagem e a abstração detêm um papel preponderante no seu trabalho, assim como elementos religiosos formais e visuais.

O Museu de Arte Contemporânea de Serralves orgulha-se de poder apresentar a primeira grande retrospetiva da obra do artista brasileiro Leonilson em Portugal. A mostra reúne uma seleção de mais de 250 trabalhos num amplo espectro de meios e estilos, desde as primeiras pinturas até aos bordados introspetivos dos últimos anos do artista, dando um panorama geral de toda a sua obra.

Com curadoria de Krist Gruijthuijsen, esta exposição foi produzida pelo KW Institute for Contemporary Art, Berlim, em colaboração com o Moderna Museet, Estocolmo, a Malmö Konsthall, Malmö, e o Museu de Arte Contemporânea de Serralves.

ROTEIRO DA EXPOSIÇÃO



A DECORRER

TERMINADAS

Image desktop

ROTEIRO DA EXPOSIÇÃO