Biblioteca

Coleção Livros e Edição de Artista

Anterior

Seguinte

Estantes de livros

A Biblioteca da Fundação de Serralves tem-se dedicado, desde 1998, a reunir uma colecção de Livros de Artista, única no género no nosso país e representativa dos conturbados períodos de 1960/1970. O conceito de LIVRO DE ARTISTA,que pode recuar quase indefinidamente, é no período de 60/70 palco de movimentos e correntes artísticas – nomeadamente arte conceptual, Fluxus, arte povera e land art – focados pela nossa colecção, que também se expande reconhecendo o contributo de publicações produzidas no nosso país.

Imagem: Livros e Edições de Artista. Col. Fundação de Serralves – Museu de Arte Contemporânea, Porto. Foto Filipe Braga, © Fundação de Serralves, Porto.

"Gesammelte Werke”, Dieter Roth

800.null contain

"…deixe uma página vazia…ela recebe significado suficiente das outras páginas onde algo está escrito”, Dieter Roth.

Karl-Dietrich Roth nasceu em Hannover em 1930, filho de mãe alemã e de pai suiço. Depois de concluir o secundário na Alemanhã, e na sequência da 2º. Guerra Mundial, viveu três anos sem os pais em casa de uma família em Zurique. Nesta casa, frequentada por artistas e atores, foi estimulado para pintar e escrever poemas. Tornou-se muito conhecido pela matéria utilizada nos seus livros de artista, esculturas e pinturas: produtos alimentares em decomposição.

Apesar da aparente reclusão em que viveu, qual exilado, o seu círculo de amigos e admiradores confirma a sua integração. Poeta de origem, era reconhecido como um mestre nas tecnologias gráficas, capaz de elevar o livro a suporte contemporâneo para a arte.

Os seus livros de artista combinavam características poéticas, conceptuais e visuais.

Alguns deles são obras primas, publicadas ou republicadas na coleção, Gesammelte Werke, desenvolvida entre 1969/1986, edição de Hansjorg Mayer.

A coleção de livros Gesammelte Werke constitui-se como um notável conjunto editorial e gráfico, pleno de exuberância e coerência, irradiando o envolvimento, a emoção e a entrega afetiva que o próprio assumia quando afirmava: "um livro é um nó”.

Silveira, Paulo (2008). As existências da narrativa no livro de artista. (copyright) Porto Alegre: Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Recuperado em 29 maio, 2012 de http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/12111/000623021.pdf?sequence=1

Imagem: Dieter Roth, Gesammelte Werke, 1969-1986. Livros e Edições de Artista. Col. Fundação de Serralves – Museu de Arte Contemporânea, Porto. Foto Filipe Braga, © Fundação de Serralves, Porto