SESSÃO CINEMA: UN CŒUR GROS COMME ÇA | LE PETIT CAFÉ

Auditório da Casa do Cinema Manoel de Oliveira
17 JUL 22 | 18H00

sessão incluída no CICLO DE CINEMA: FRANÇOIS REICHENBACH

Pad2 800x450 cover

LE PETIT CAFÉ

FR | 1963 | 12 min.


A atividade de um pequeno café de província na cidade de Béthune, em Pas-de-Calais, contém em si toda a riqueza da sociedade francesa. Há os clientes habituais que jogam às cartas, aqueles que tendo à pressa tomam rapidamente algo ao balcão, os namorados que marcam encontro numa mesa mais reservada, os reformados que vêm passar a tarde a ler o jornal, a funcionária aborrecida e o cozinheiro atarefado com os pedidos especiais. Em Le Petit café, François Reichenbach parte de um microcosmos muito particular para nos dar “a vida como ela é”. Premiado no Festival de Veneza, em 1963, será apresentado em nova cópia digital restaurada.


UN CŒUR GROS COMME ÇA

FR | 1961 | 85 min.


Na segunda longa-metragem de François Reichenbach, Un cœur gros comme ça, acompanhamos alguns momentos da vida de um jovem pugilista senegalês, Abdoulaye Faye, que foi tentar a sua sorte em Paris. Participamos dos seus desejos e anseios: o seu sonho de vencer um campeonato de boxe, a sua admiração pelas mulheres (em particular Michèle Morgan) ou a sua dificuldade em adaptar-se à vida parisiense (o frio e a neblina assombram-no). A certa altura, a sua rotina é quebrada quando conhece uma jovem rapariga japonesa no Bois de Boulogne. O que lhe reservará o futuro? Talvez uma vidente possa adivinhar, mas agora chegou a hora do combate e há que lutar pelo título. O filme foi premiado nos festivais de Locarno e de Veneza, contando com uma “aparição” de Jean-Paul Belmondo. A apresentar em nova cópia digital restaurada.


O ciclo François Reichenbach, o cineasta indiscreto é uma coprodução entre a Casa do Cinema Manoel de Oliveira – Fundação de Serralves e o Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema.

On going

Past